À toa ou à-toa?

É necessário compreender como era antes e o que é agora, tendo em vista as mudanças ocorridas pelo Novo Acordo Ortográfico. Veja, pois, a explicação:

À toa, significando “ao acaso”, “a esmo”, “sem fazer nada”, antes já era e, depois da nova reforma, continua sendo grafada sem o uso do hífen, representa uma locução adverbial de modo. Vejamos o exemplo:
Ela passava à toa todos os dias de sua vida.
Verificamos que indica um fator circunstancial.

À-toa, antes grafado com hífen e agora escrito sem ele (à toa), é um adjetivo, cujo sentido é “inútil”, “desocupado”, “insignificante”. Constatemos o caso a seguir:
Ela não passava de uma à toa, pois não demonstrava nenhum interesse em estudar, trabalhar ou crescer na vida.

Sendo assim, em quaisquer um dos dois sentidos, não usamos mais o hífen.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *