Saiba como é o curso de Engenharia de Produção; veja quais são suas áreas de atuação, qual é o salário médio da profissão e o que se estuda na universidade.

O engenheiro de produção é a essência de qualquer setor empresarial. Ele é responsável pelo gerenciamento dos recursos humanos, materiais e financeiros das organizações em geral. Na formação do estudante ele aprende, além da engenharia, técnicas avançadas de administração e economia, tornando-o hábil para adotar posturas e aplicar métodos que melhorem as atividades logísticas, financeiras e comerciais das companhias. Em outras palavras, ele define qual a melhor maneira de integrar a mão de obra, máquinas e matérias-primas, aumentando a produtividade nas áreas em que esse profissional atua.

Duração do curso

O curso de Engenharia de Produção possui duração média de 10 semestres ou, então, 5 anos – de acordo, com o desempenho do aluno.

Disciplinas do curso de Engenharia de Produção

Para ficar mais claro, vamos dividir as disciplinas de acordo com os semestres que elas estão dispostas nas melhores universidades brasileiras, de acordo com suas infraestruturas.

1º semestre

– Fundamentos de Ciências Exatas (Matemática + Física Mecânica)
– Expressão Gráfica
– Introdução a Engenharia
– Química Geral
– Comunicação

2º semestre

– Cálculo I
– Física Eletricidade
– Geometria Analítica e Álgebra Linear
– Segurança e Saúde do Trabalho
– Projetos de Engenharia
– Gestão das Organizações

3º semestre

– Algoritmos e Programação
– Cálculo II
– Ciência dos Materiais
– Mecânica Clássica
– Física Ondas e Calor
– Projeto e Desenvolvimento do Produto
– Antropologia e Cultura

4º semestre

– Cálculo III
– Cálculo Numérico
– Ergonomia do Trabalho
– Mecânica dos Sólidos
– Tempos e Métodos
– Probabilidade e Estatística

5º semestre

– Desafios Contemporâneos
– Fenômenos de Transporte
– Resistência dos Materiais
– Processos de Fabricação
– Controle Estatístico de Processos
– Sistema de Informação e Gestão

6º semestre

– Pesquisa Operacional
– Gestão da Qualidade
– Gestão da Produção
– Metrologia
– Desenvolvimento Humano e Social

7º semestre

– Pesquisa Operacional Aplicada
– Engenharia da Qualidade
– Gestão de Operações
– Gestão da Logistica integrada

8º semestre

– Simulação e Modelos
– Planejamento e Gestão Estratégica
– Gestão de Projetos

9º semestre

– Métodos de preço, custos e custeio
– Gestão da cadeia de suprimentos
– Gestão de Serviços
– Manutenção e Inspeção
– Optativa I
– Trabalho de Conclusão de Curso I

10º semestre

– Engenharia Econômica
– Avaliação Estratégica de Mercados
– Projeto de Fábrica
– Optativa II
– Trabalho de Conclusão de Curso II

Áreas de atuação

Com tantas atividades desenvolvidas por quem se forma no curso, fica claro que há muitos setores em que o Engenheiro de Produção atua, a saber:

• Indústrias automotivas, equipamentos de construção, eletrodomésticos, etc.
• Empresas que prestam quaisquer tipos de serviços de transportes aéreo ou marítimo, construção, consultoria em qualidade, hospitais, dentre outros.
• Empresas públicas como Correios, Petrobras, agências de energia (ANEEL, por exemplo), Agência Nacional de Petróleo, BNDEs, etc.
• Bancos privados, como analista de finanças e investimentos.

 

Funções do Engenheiro de Produção

Dado ao amplo conhecimento do egresso em Engenharia de Produção, ele gerencia diversas atividades. Veja a seguir quais as funções do engenheiro e como são feitas as suas tomadas de decisão.

Otimiza o desempenho organizacional

Esse gerenciamento está voltado em medir e comparar resultados, executando estratégias de correção a fim de melhorar o desempenho da empresa.

Para isso, o engenheiro responsável por essa administração realiza o planejamento estratégico da organização, estabelecendo diretrizes, metas e estratégias. Todas as ações devem buscar constantemente a melhoria do desempenho do produto ou serviço.

Com o planejamento bem definido, é possível verificar o desempenho global da companhia e dos seus setores.

Gerencia as informações da empresa

A informação é essencial para reduzir as incertezas dos ciclos produtivos e otimizar os processos de decisão.

O engenheiro de produção deve utilizar da melhor forma possível os dados a ele fornecidos a fim de otimizar todas as atividades da empresa em que trabalha. A informação deve ser relevante, assertiva e seu gerenciamento deve ter um custo apropriado com a realidade da instituição.

Melhora o desempenho produtivo e financeiro

Com as informações relevantes obtidas pelo profissional, ele deve aplicar técnicas para modelar os processos corporativos da empresa através da gestão do conhecimento.

Trata-se de um processo articulado e sistemático pelo qual gera, codifica e usa apropriadamente os conhecimentos adquiridos.

Essa busca acontece devido às habilidades do profissional da área que aplica as disciplinas por ele aprendidas, otimizando o desempenho organizacional e financeiro da companhia.

Atua na área de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D)

É um dos setores mais investidos pelas empresas, pois é nele que surgem os métodos para otimizar a produção e as margens de lucros das mesmas. A área de P&D visa fazer um exame para desenvolver um produto e/ou serviço, encontrando formas de otimizá-los. Em seguida, parte-se para o desenvolvimento do novo insumo.

A função do profissional é estar atento em trazer novos métodos, programas e equipamentos que aumentem os lucros e reduzem as despesas totais da empresa.

Otimiza a Gestão da Qualidade

O profissional atua no planejamento, garantia e controle dos processos produtivos, assegurando melhor qualidade dos seus trabalhos pelas organizações produzidos.

Com uma gestão de qualidade apropriada, consegue-se estabelecer objetivos, métodos e instrumentos que evitam erros que prejudicam a eficiência do que foi produzido.

Nesse caso, o engenheiro de produção realiza as seguintes atividades relacionadas à qualidade:

• Normalização e certificação;
• Controle estatístico;
• Organização metrológica;
• Confiabilidade dos equipamentos, maquinário e produtos e/ou serviços;
• Testar a qualidade daquilo que foi fabricado.

Salário médio

O grande brilho do curso de Engenharia de Produção é sua “função curinga”. Por causa da vasta gama de habilidades que são aprendidas ao longo do curso, o profissional se forma tendo a perícia necessária para atuar em diversos setores, como negócios, turismo, saúde ou varejo.

Embora tenha característica multidisciplinar, o foco principal da área está em empresas de manufatura e fabricação. Caso seja esse o seu desejo, é importante ter um registro no Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (CREA), que possibilite a assinatura de alguns documentos específicos.

Por ter uma série de atributos, os cargos dos engenheiros de produção costumam prover excelentes salários de mercado, cujos ganhos iniciais estão acima de R$ 4.000,00. Dependendo do cargo e da função, profissionais mais experientes ganham, em média entre R$ 9.000,00 e R$ 18.000,00.