Jornadas de trabalho exaustivas, anos de estudo e dedicação e habilidades para cuidar de pessoas são características comuns em profissionais de enfermagem e de medicina. No entanto, mesmo com aspectos tão semelhantes, essas profissões possuem diferenças cruciais que vão desde o período de graduação até a remuneração no mercado de trabalho.

Muitas vezes, o desconhecimento das suas especificidades e o nível de concorrência do vestibular fazem com que estudantes que desejam seguir na área de saúde cometam erros ao escolher uma das profissões. Para esclarecer as suas dúvidas, listamos, no post de hoje, as especificidades de cada uma delas. Confira!

Tempo de graduação

Estudantes de medicina dedicam cerca de seis anos para a graduação, divididos entre estudos teóricos e práticos e dois anos para especialização através da residência médica. É o curso com a maior carga horária nas principais universidades brasileiras (cerca de 7.200 horas/aula).

Já os estudantes de enfermagem passam quatro anos na universidade (cerca de 4.800 horas/aula) e, após a formatura, já podem atuar no mercado de trabalho.

Grade curricular

Ambas as profissões possuem matérias gerais como biologia, ética e anatomia em sua grade curricular, que começa a se tornar mais específica entre o 2º e 3º ano de graduação, com disciplinas técnicas e de investigação para medicina — como fisiopatologia, clínica médica e bases da técnica operatória. E técnicas específicas no atendimento de crianças, adultos, idosos e práticas de supervisão em centros cirúrgicos para enfermagem.

Estágio

Os estágios são obrigatórios para ambas as profissões, mas possuem certas particularidades. Enquanto o estudante de enfermagem começa a pôr em prática os conhecimentos adquiridos já no 4º semestre, o estudante de medicina só pode atuar no 5º e no 6º semestre da graduação, em hospitais universitários ou vinculados à faculdade. Esse tipo de estágio é conhecido como internato.

Atendimento

Imagine a seguinte situação: você se sente mal e é conduzido a um pronto-socorro ou hospital. Possivelmente, seu primeiro contato será com os enfermeiros de plantão naquele período, que identificarão a gravidade do seu quadro, prestarão o primeiro atendimento e te conduzirão até o médico do local. Esse profissional, então, será o responsável por encontrar a real causa da enfermidade, receitar remédios, propor tratamentos e realizar procedimentos cirúrgicos, se necessário.

A medicina é a ciência da investigação, enquanto a enfermagem se preocupa com a assistência diária e garantia do bem-estar dos pacientes. Muitas vezes ambas precisam cuidar de questões mais burocráticas, como cálculos de custos e a identificação de fragilidades na prestação de serviços. No dia a dia, essas profissões se complementam e necessitam uma da outra.

Remuneração

Medicina é uma das profissões mais concorridas do Brasil, mas também a mais bem remunerada. Os ganhos iniciais (para residentes) são de cerca de 2,3 a 3 mil reais mensais — a depender da área de atuação (atualmente, existem cerca de 60 especialidades). No auge da carreira, alguns médicos chegam a uma média salarial de mais de 25 mil reais.

Já os profissionais de enfermagem têm salário inicial de 2 mil reais e cerca de 6,1 mil reais no auge da carreira.

Áreas de atuação

Profissionais graduados em medicina e enfermagem podem atuar em diversas áreas, como consultoria, gestão hospitalar, ensino e pesquisa e hospitais e clínicas.

Enfermeiros são os profissionais mais qualificados para:
• Prestar assistência diária domiciliar;
• Acompanhar idosos e crianças com enfermidades ou pessoas que estão em recuperação cirúrgica;
• Prestar o primeiro atendimento de vítimas de acidente;
• Atuar em áreas empresariais como a gestão hospitalar.

Médicos têm opções como:
• Serviços particulares ou públicos;
• Consultoria;
• Coordenação ou diretoria de clínicas e hospitais;
• Especializações em anestesiologia, cardiologia, oncologia, dermatologia, ginecologia e urologia etc.

Mesmo com tantas diferenças, algumas ações são importantes para profissionais de enfermagem e medicina, como investir em qualificações extras e novos idiomas e o mais importante: estar preparado para lidar com pessoas em seus momentos mais frágeis. Por isso é essencial que estudantes que desejam atuar na área de saúde escolham bem uma delas, sem esquecer que ambas requerem uma enorme dedicação de tempo e, principalmente, de cuidado com a vida.

Entre enfermagem e medicina, qual dessas duas profissões se encaixa melhor no seu perfil? Conte para a gente nos comentários!