A redação do ENEM é um momento muito temido por muitos jovens brasileiros. Conheça 7 erros comuns na redação do ENEM e como prevenir-se.

Erros são comuns, mas há alguns que podem ser, tranquilamente, evitados. Para te ajudar nessa preparação, resolvemos listar 7 dos erros comuns na redação do ENEM. Leia, compreenda e previna-se. Pode ter certeza que a sua nota será mais alta na próxima prova.

“Encher linguiça”

Muito provavelmente, você já teve um professor no Ensino Médio que dizia odiar quem “enchia linguiça”, certo? Isso nada mais é do que ficar enrolando, utilizar mais palavras do que o necessário para concluir um argumento e, assim, aumentar o tamanho do seu texto de forma proposital e desnecessária.

Para os avaliadores é muito fácil identificar quando o candidato faz isso, porque ele usa palavras repetidas, insiste em um ponto de vista que já foi mostrado e usa conjunções para tentar esconder. Esqueça isso! Não funciona e vai abaixar sua nota.

Não utilizar o texto-base

O texto-base está lá por um motivo. Portanto, utilize-o! Não é para copiar um trecho longo ou falar dele ao longo de todo o seu texto. Mas, sim, para que você o mencione, use pequenas transcrições e, assim, faça uma conexão entre o que você escreveu e o que a prova está lhe oferecendo.

Usar gírias em momentos inadequados

As gírias só devem ser utilizadas em momentos muito específicos e dependendo do tema cobrado na redação. O mesmo se aplica a abreviações comuns à internet, como “vc” e afins. Só em situações muito especiais, ok? Por mais básico que isso pareça, milhares de estudantes cometem esse erro a cada ano que se passa.

Evite radicalismos

“Nunca”, “sempre”, “jamais” e expressões parecidas não devem ser utilizadas. A banca quer ver qual é o seu argumento para determinada situação. Não precisa forçar para parecer mais claro ou forte. Seja coesivo e coerente com aquilo que você está defendendo. Não radicalize!

Não fazer rascunho

Ah, o rascunho! Muitos acharam que ele não faria mais parte do ENEM em 2019, mas sim, ele ficou! Essa é uma ótima notícia. Sempre, em todas as hipóteses, utilize-o. Você vai precisar saber o tamanho do seu texto e vai querer relê-lo. Sem falar que, enquanto você escreve, novas ideias vão surgindo, e você acaba escrevendo com uma letra ilegível e com erros gramaticais. Isso é comum. O que importa é que na hora que você for passar para a folha de prova, será possível corrigir tudo isso. Portanto, não deixe o rascunho de lado jamais!

Escrever períodos longos demais

Períodos muito longos são difíceis de ser compreendidos, geram confusão e, consecutivamente, prejudicam o seu argumento perante a banca. Sem falar nos erros de concordância gerados a partir disso. Portanto, faça pontuações aos poucos, destrinche seu texto e deixe-o mais organizado para quem está prestes a ler.

Incoerência no texto

A falta de coerência talvez seja o erro mais repetido nos últimos anos do ENEM. Ela está, intimamente, relacionada com o contexto e o universo interpretativo da pessoa uma vez que trabalha com a construção do sentido.

Não escreva algo que você não tem certeza e nem mude seu ponto de vista ou crie argumentos controversos ao longo do texto. Acredite, isso “pega muito mal”.