A teoria foi criada por um psiquiatra americano chamado William Glasser, que também a aplicou no âmbito da educação.

Se você está estudando para o ENEM e fica de olho em novas dicas de estudo, talvez já tenha se deparado com a Teoria de Glasser. Quer saber mais sobre essa teoria e entender como ela pode ajudá-lo em seus estudos para o ENEM? Continue lendo este artigo.

Conheça a Pirâmide de Aprendizagem de William Glasser

O pesquisador William Glasser começou defendendo sua Teoria da Escolha, na qual afirma que os seres humanos gostam de aprender, mas aprendem melhor quando não estão entediados. Ou seja, quando aprendem de um jeito mais divertido e dinâmico.

A partir de seus estudos, Glasser desenvolveu a Pirâmide de Aprendizagem, que nos mostra que a educação deve mesclar diferentes técnicas de aprendizagem e não apenas a memorização.

Então, segundo Glasser, para um aprendizado realmente efetivo, o aluno deve ler, ver, escutar, discutir, fazer e ensinar. Veja abaixo como nós aprendemos, de acordo com a Teoria de Glasser:

  • 10% quando lemos;
  • 20% quando ouvimos;
  • 30% quando observamos;
  • 50% quando vemos e ouvimos;
  • 70% quando discutimos com outros;
  • 80% quando fazemos;
  • 95% quando ensinamos aos outros.

Como estudar para o ENEM usando a Teoria de Glasser

Com base nessa teoria, percebemos que apenas a leitura dos conteúdos das matérias que vão cair no ENEM pode não ser suficiente para um aprendizado completo e efetivo.

Por isso, separamos algumas dicas de estudo, baseadas nas necessidades da Pirâmide de Aprendizagem de Glasser. Confira!

1. Forme grupos de estudos para discutir as questões

Fuja do básico! Provavelmente, seus amigos também estão empenhados em estudar para o ENEM, então use isso ao seu favor e forme grupos de estudo. Assim, vocês poderão aumentar o aprendizado por meio de debates e discussões.

Para facilitar, durante seus estudos e exercícios, separe as questões que você considerou mais difíceis e leve para a discussão. Assim, você poderá aprender novos raciocínios para solucioná-las.

2. Ensine as matérias que você tem facilidade

Ensinar também nos permite aprender e fixar o conteúdo, e a Teoria de Glasser deixa isso bem claro quando diz que aprendemos 95% quando ensinamos.

Escolha as matérias que você tem mais facilidade, pergunte se os seus amigos precisam de ajuda com elas e coloque a mão na massa. Fale sobre a Teoria para eles e os incentive a fazer o mesmo. Deste modo, você aprende e ainda ajuda quem precisa de uma forcinha.

3. Escute podcasts

Aprendemos 20% ouvindo e, mesmo parecendo ser uma porcentagem baixa, a mistura de todas as formas de aprendizado é importante para alcançar a excelência. Ainda mais porque cada indivíduo tem a sua forma favorita de assimilar o conteúdo, então conhecer todas é fundamental para saber em quais focar.

Existem muitos podcasts com conteúdos didáticos interessantes para quem está estudando para o ENEM. E o melhor é que você pode estudar a qualquer momento, basta estar com seu celular e fones de ouvido.

4. Assista videoaulas

Aprendemos 50% vendo e ouvindo, mas não precisamos nos limitar às aulas presenciais, tendo uma infinidade de conteúdos extremamente ricos na internet.

Claro que as aulas na sua escola e cursinho são importantes, mas você pode se diferenciar potencializando seu aprendizado também com as videoaulas. Muitos canais do Youtube produzem conteúdos específicos para os estudantes do ENEM. Então, material é o que não falta.

Agora que você já conheceu a Teoria de Glasser e viu como ela pode ajudar em seus estudos para o ENEM, veja também algumas dicas de como estudar para o ENEM em casa.