MEC solicita ao presidente Michel Temer que data do início do horário de verão seja modificada por causa do ENEM.

O Ministério da Educação (MEC) requisitou nesta quarta-feira (26) à presidência da república que o início do horário de verão não seja mais no dia 4 de novembro, mesma data do primeiro dia de provas do ENEM 2018. A alteração nos relógios estava prevista para acontecer no dia 28 de outubro, coincidindo com o segundo turno das eleições, mas com um pedido do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o presidente Michel Temer modificou para uma semana depois.

Um grande impasse envolvendo as provas do ENEM, o 2º turno das eleições presidenciais e estaduais e o horário de verão acontece. Como o TSE havia solicitado que a alteração acontecesse somente após o fim das eleições presidenciais (28/10), – isso porque haveria uma diferença de 3 horas no início da apuração dos urnas, entre Brasília e Acre, por exemplo – o MEC pediu para que a mudança no horário ocorresse somente o segundo dia de aplicação das provas, que é o dia 11. Até agora, não obteve resposta da presidência.

Os 10 estados que adiantam uma hora nos ponteiros são Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e o Distrito Federal.

De qualquer forma, o MEC já sinalizou que está se preparando, caso a solicitação não seja atendida, para fazer um material especial para os candidatos não se confundirem em relação ao horário e com tudo que precisa ser levado à sala de provas.

O porquê da mudança das datas

A mudança do dia 28 de outubro para o dia 4 de novembro aconteceu para que não ocorressem atrasos em alguns estados na apuração do segundo turno das eleições e na divulgação dos resultados. No Acre, por exemplo, as urnas só seriam fechadas quando já houvesse três horas de contagem de votos em estados do Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Ou seja, segundo o horário de Brasília, os resultados só começariam a ser divulgados às 20h.

No entanto, esta mudança pode prejudicar milhões de estudantes em todo o Brasil, já que tiraria uma hora de descanso na madrugada do dia da primeira prova, que é no dia 4. Então, o MEC pediu para que a mudança ocorresse somente do dia 17 para o dia 18 de novembro e agora aguarda a resposta da presidência da república.

Vale lembrar que o término do horário de verão chegou a ser pauta do governo, já que a iniciativa tinha como intuito diminuir o consumo de energia e, segundo estudos do Ministério de Minas e Energia, não fazia mais tanto efeito.