Em 2019, o ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio) completa 21 anos de existência. Durante essas duas décadas, uma preocupação é quase unânime aos estudantes que realizam a prova: o que pode cair na redação? Para tentar desmistificar essa parte do exame, colocamos todos os assuntos que já foram pauta desde 1998 lado a lado e encontramos várias semelhanças entre eles que podem ajudar o aluno a identificar possíveis temas para a próxima prova e se preparar ainda melhor.

O que as redações do ENEM tiveram em comum até hoje

Já são 21 provas do ENEM desde 1998. De lá para cá, vimos temáticas diferentes sobre os mais variados assuntos caírem na redação. No entanto, é possível apontar algumas semelhanças entre elas. A primeira e mais básica é que todas, sem exceção, tratam de algo universal. Universal, no sentido de que qualquer brasileiro já foi afetado,
direta ou indiretamente por isso, seja através de meio de comunicação, através da vida pessoal ou de algum amigo ou parente. Parte-se do pressuposto de que cada aluno deva ter uma afinidade e um conhecimento mínimo para saber opinar a respeito. Dessa forma, é possível afirmar que os temas são sempre sociais e, então, dividi-los em quatro subtemas:

Sustentabilidade – duas vezes
Violência ou discriminação – cinco vezes
Problemas relacionados a meios de comunicação – três vezes
Cidadania e temas gerais da sociedade – dez vezes

Análise das redações do ENEM

Note que a redação de 2018 não entrou na conta. Isso se deve ao fato dela englobar três das nossas subdivisões, que são cidadania, problemas relacionados a meios de comunicação e violência. Pode-se notar uma tendência de que, cada vez mais, sejam escolhidos temas globais para a prova. Isso exige do aluno uma capacidade de argumentação maior e, provavelmente, é isso que o ENEM realmente quer.

Cidadania é a temática que engloba o maior número de pessoas e, por isso, é a mais escolhida pelo ENEM. Afinal, o pressuposto para entender a maioria delas é apenas ser um cidadão residente no Brasil. Isso facilita para que o assunto seja bem aceito diante de algo que abranja apenas uma área específica. Em segundo lugar, é possível constatar que todos os temas, com exceção dos de 1998 e do de 2017, tratam de assuntos que a mídia vem debatendo com frequência. Grandes exemplos disso são a liberdade de informação, movimento imigratório, discriminação contra minoria, vários tipos de violência, entre outros.

Além disso, outra curiosidade é que, em quase todas as propostas de redação, o ENEM traz uma problematização à tona, com o intuito de que o estudante possa propor algo diferente para melhorar a sociedade. Não é, meramente,
para que o aluno comente sobre o assunto e sim para que ele desenvolva uma boa linha de raciocínio, que possibilite modificar os paradigmas atuais propondo algo novo.

Seguindo a mesma linha de raciocínio, é possível dizer que na maioria dos casos, o ENEM não coloca temas muito polêmicos, como por exemplo, privatizações, cotas em universidades, entre outros. É claro que, para gerar discussão e pontos de vista alternativos, é inevitável que haja um pequeno grau de polêmica, mas com moderação. Até porque o grande intuito do exame é ver o poder argumentativo de cada um e não, propriamente, a opinião.

Como identificar possíveis temas para a próxima prova

Para identificar possíveis temas da próxima redação é preciso pensar em algo que seja de interesse de toda a sociedade e que esteja afetando a vida de uma parcela da população nos últimos anos. A tendência é que seja algum assunto com pequeno grau de polêmica, que está ou esteve em debate.

No entanto, nem sempre o ENEM é previsível. Nos últimos anos, tivemos exemplos de que pautas atuais não entram na prova com tanta facilidade – até pelo fato de estarem passando por constantes mudanças de opinião da população. Um exemplo que prova que temas atemporais também podem cair é a redação de 2013: “Efeitos da implantação da Lei Seca no Brasil”. Um assunto que ninguém cogitava, pois se tratava de uma lei que havia sido implantada há mais de cinco anos e nem vinha recebendo grande atenção da mídia. Ainda, o tema da redação de 2017: “Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil” – algo que poderia cair em qualquer ano, pois não possui uma validade.

Em suma, é possível afirmar: temas abrangentes, envolvendo transporte, educação, saúde, segurança pública, descriminação, entre outros assuntos, que estiveram em discussão em jornais, revistas, emissoras de rádio e televisão com frequência nos últimos anos, podem cair. Não necessariamente será algo que surgiu em 2018 e a tendência é que, realmente, não seja. Isso acontece, até para que o aluno não reproduza opiniões que ouviu na televisão recentemente, por exemplo, mas sim, que utilize argumentos próprios.

Todos os temas de redação do ENEM

1998: “Viver e aprender”
1999: “Cidadania e participação social”
2000: “Direitos da criança e do adolescente: como enfrentar esse desafio nacional”
2001: “Desenvolvimento e preservação ambiental: como conciliar o interesses em conflito?”
2002: “O direito de votar: como fazer dessa conquista um meio para promover as transformações sociais que o Brasil necessita?”
2003: “A violência na sociedade brasileira: como mudar as regras desse jogo”
2004: “Como garantir a liberdade de informação e evitar abusos nos meios de comunicação”
2005: “O trabalho infantil na sociedade brasileira”
2006: “O poder de transformação da leitura”
2007: “O desafio de se conviver com as diferenças”
2008: “Preservação da floresta Amazônica: suspender imediatamente o desmatamento; dar incentivo financeiros a proprietários que deixarem de desmatar; ou aumentar a fiscalização”
2009: “O indivíduo frente à ética nacional”
2010: “O trabalho na construção da dignidade humana”
2011: “Viver em rede no século 21: os limites entre o público e o privado”
2012: “Movimento imigratório para o Brasil no século 21”
2013: “Efeitos da implantação da Lei Seca no Brasil”
2014: “Publicidade infantil em questão no Brasil”
2015: “A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira”
2016: “Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil”
2017: “Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil”
2018: ” Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet”

Como identificar próximos temas

Para identificar possíveis temas da próxima redação é preciso pensar em algo que seja de interesse de toda a sociedade e que esteja afetando a vida de uma parcela da população nos últimos anos. A tendência é que seja algum assunto com pequeno grau de polêmica, que está ou esteve em debate. Pensando em 2018, um bom exemplo é a proliferação de fake news.

No entanto, nem sempre o ENEM é previsível. Nos últimos anos, tivemos exemplos de que pautas atuais não entram na prova com tanta facilidade – até pelo fato de estarem passando por constantes mudanças de opinião da população. Um exemplo que prova que temas atemporais também podem cair é a redação de 2013: “Efeitos da implantação da Lei Seca no Brasil”. Um assunto que ninguém cogitava, pois se tratava de uma lei que havia sido implantada há mais de cinco anos e nem vinha recebendo grande atenção da mídia. Ainda, o tema da redação de 2017: “Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil” – algo que poderia cair em qualquer ano, pois não possui uma validade.

Em suma, é possível afirmar: temas abrangentes, envolvendo transporte, educação, saúde, segurança pública, descriminação, entre outros assuntos, que estiveram em discussão em jornais, revistas, emissoras de rádio e televisão com frequência nos últimos anos, podem cair. Não necessariamente será algo que surgiu em 2018 e a tendência é que, realmente, não seja. Isso acontece, até para que o aluno não reproduza opiniões que ouviu na televisão recentemente, por exemplo, mas sim, que utilize argumentos próprios.